top of page

O que Startups deveriam saber antes de iniciar suas jornadas


Após um tempo orientando Startups e conversando bastante com vários tipos de empreendedores, reconhecemos um padrão. Percebemos que uma há dificuldade de várias Startups sustentarem seus negócios na fase inicial, muitas morrem nos primeiros meses, só que o maior dos problemas, por mais incrível que pareça, não é de mercado ou de recurso, mas sim de entenderem as dores do seus clientes.


O que quer dizer isso?


De uma maneira mais pragmática, o mercado é influenciado o tempo todo, se comportando de forma adaptativa às novas tecnologias e soluções que trazem muito valor para ele. Para uma Startup que não tem clareza sobre quais dores eles estão ajudando a curar, corre o risco de elas investir em um produto e não cumprir com algumas expectativas em relação ao mercado, resultando em baixa adesão. Ou seja, a Startup pode estar em sérios riscos em entregar um produto que não proponha valor para seu cliente se não entender a suas dores!


Toda dor é ocasionada por um problema, onde esse problema leva a uma solução. Então se não existe uma dor clara, não há problema a ser resolvido. Não há proposta de valor, não há interesse!


Produtos sem proposta de valor tendem a ser ignorados pelo mercado e startups que insistirem em trabalhar com produtos de baixa proposta de valor irão gastar muito recurso e queimá-lo até uma hora acabar. Sem entender o porquê de não conseguirem crescer.


Então o caminho é partir de uma dor clara do mercado, por consequência entender seu problema e buscar uma solução viável para isso, gerando uma proposta de valor. Parece simples, mas uma proposta de valor é complexa de se enxergar e se ajustar na prática. Administrar recursos e estabelecer um bom projeto para desenvolvê-la também é muito difícil. Gerenciá-los é um desafio maior ainda!


Pensando nisso, vamos apresentar a você, onde de forma simples e prática, encontrar essa dor e conseguir vencer o abismo que separa as Startups que falham das Startups que chegam ao sucesso! Fique ligado nos próximos posts!


Texto escrito por: Caio Augusto e Lean Sartori

23 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page